Let's talk with // Catita Illustrations


Muita a gente a conhece por Catita mas o seu nome verdadeiro é Rita. Arrisco-me a dizer que é das minhas artistas preferidas em termos de ilustração. Sou fã do seu trabalho e da forma como dinamiza todos os produtos. A Rita é um verdadeiro exemplo de empreendedorismo e é com ela que falamos hoje aqui no blog. Ora vejam:

1. Fala-nos um pouco da Rita...

[R] Sou a que gosta mais de pessoas do que de coisas (desde que as pessoas não me asfixiem.. e também gosto de coisas, mas menos do que de pessoas :) a que gosta de qualquer forma de arte desde que seja “de verdade”. Sou mãe. Tenho a memória da Dory o que é óptimo e péssimo. Sou desorganizada porque “viajo na maionese” muito mais do que a conta. A que gosta de estar em casa a ver séries e filmes mas de saber que na rua há burburinho. A que gosta de livros mas não consegue ler (sou disléxica). A que gosta de cozinhar porque adora comer. A irmã mais nova. Sou a mistura da miúda do bairro e da que estudou numa escola artística. A que aprendeu o valor do trabalho e o prazer do dolce far niente. A que está com o mesmo tipo since ever e forever. Sou normal.

'I am going to make everything around me beautiful - that will be my life.’ - Elsie de Wolfe

2. Quando é que começa o seu dia?

[R] O meu dia começa com um pequeno almoço de rei, ou melhor 2. Um antes e outro depois de levar a minha filha ao colégio.

3. O que é que não pode faltar em cima da sua mesa de trabalho?

[R] Em cima da minha mesa tem que haver sempre chá verde, desordem, muitos briefings e MÚSICA

4. Descreva-nos o seu dia. Um dia comum.

[R] O dia começa após um 1º pequeno almoço que o meu marido nos faz, tratar da minha filhota, leva-la à escola e tomar um 2º pequeno almoço (na rua). Depois começa o trabalho. Como trabalho em casa, os dias nunca são muito iguais. Podes ter uma reunião hiper interessante ou parar tudo o que estás a fazer para ir aspirar ou cozinhar.

5. Para trabalhar: sozinha ou acompanhada?

[R] Trabalho acompanhada, o meu marido tornou-se no meu/nosso Progect Manager. Além de trabalharmos em conjunto na comunicação visual e branding para outras marcas, em ilustração editorial, web design, design de joias e estampados têxteis. Temos ainda colaboradores externos.

6. Como e quando é que surgiu a Catita Illustrations?

[R] Tenho que fazer um enquadramento :)

Toda a minha vida soube que o meu caminho eram as Artes, desde a escola primária que era nesse mundo onde eu mais me destacava e a que eu mais adorava. No entanto ao terminar o curso de Design Gráfico (na melhor escola artística do mundo.. a Árvore) trabalhei em mil e uma coisas fora dessa área (agora sou consciente de que esse percurso tornou-se muito útil, fornecendo-me muitas ferramentas que utilizo hoje). Em 2008 vim viver para La Coruña porque contrataram o meu marido como Art Director numa agência de publicidade. Aqui trabalhei durante um tempo em seguros (sim.. isso mesmo… seguros) e quando a minha filha tinha um ano fiquei sem trabalho. Aí resolvi que era “agora ou nunca” apostando pelo que considero ser a minha área natural. Correu bem, fiz uma coleção de posters de animais e comecei com uma espécie de “retratos". Saí uma vez no blog da Carlota e esse foi o rastilho para mil coisas que aconteceram a partir de aí. Começou por ser uma coisa não pensada que, com muito trabalho, se foi construindo e transformou num projecto bastante estruturado. Hoje estamos presentes em 10 países e mais de 20 lojas, para além de termos a própria nossa loja online (posters, paperbags, tshirts, wall decals, jewellery, notebooks, temporary tattoos, etc) .

7. O que não pode faltar na mesa de cabeceira?

[R] leite de arroz, desmaquilhante e o iphone

8. O que é que a sua marca lhe trouxe de melhor?

[R] Liberdade e tempo acima de tudo. Além disso, um reconhecimento inesperado do meu trabalho e o privilégio imenso de fazer o que gosto. Também me trouxe muitas “pessoas” e eu adoro pessoas.

9. O seu percurso tem sido fantástico. A Catita Illustrations tem crescido imenso e tem tido um sucesso incrível. Qual considera que seja a chave para ter sucesso e para criar uma comunidade fiél?

[R] trabalho, trabalho, trabalho. Não dormir sobre os êxitos alcançados, encaixar os momentos altos e aprender com os baixos e, não ter medo. Não tenham medo de mostrar o vosso trabalho ao mundo.

10. Partilhe connosco quais os teus maiores medos durante esta sua jornada. E quais as maiores forças?

[R] No inicio pairava o fantasma do “como será o amanhã”, o preconceito de não ter um trabalho estável. Rapidamente percebi que o mundo é dos “knowmads” dos que se adaptam e criam as suas próprias oportunidades, em qualquer sitio, em qualquer momento. Esse conhecimento pessoal, que não necessita um local fisico ou um contrato fixo, proporciona uma vantagem competitiva no mercado de trabalho. Felizmente desde o momento em que nasceu este projecto, nunca tive um dia sem trabalho.

11. Sendo mãe, como encontra tempo para si própria, para a criatividade e para criar novos conteúdos?

[R] A minha filha é a maior fonte de inspiração. Ela é criativa, pura, sem preconceitos, sem molduras. A visão que ela tem do mundo é mágica e inspiradora. Tenho muito mais tempo para ela agora. Posso acompanhá-la em tudo o que ela necessite… e quando não lhe posso dar tanta atenção por causa do trabalho e ela se aborrece.. é perfeito, os meninos que se aborrecem são muito mais criativos :)

Instagram

Site

#mulheresempreendedoras #entrepreuner #female #interview #entrepreunerfemale #inspiration #calledtobecreative #calledtobecreativemombossgraphicdesignerfem #entrevista

513 visualizações
COPYRIGHT BY JL&COMPANY 2020