Let's talk with // Inês, Ananás & Hortelã


1. Fala-nos da Inês...

[IM] Olá eu sou a Inês, tenho 35 anos e sou veterinária de profissão. Fiz uma pós-graduação em Medicina Interna, trabalho numa clínica de pequenos animais onde faço cirurgia. Adoro gatos e não sei viver sem eles. Cresci numa pequena quinta, rodeada pela natureza e com muitos animais. Desde pequena que aprendi a valorizar as pequenas coisas, tudo o que vem da terra e a respeitar os animais e essa paixão conduziu-me à minha profissão. Para além de ser veterinária, tenho um blog o “Ananás e Hortelã” onde partilho receitas, imagens e histórias, e a minha paixão por food styling & photography. Adoro fotografar, especialmente comida que transmita uma história, memórias e afectos. Adoro fazer bolos e bolinhos, partilhar uma mesa cheia de coisas boas com quem gosto. Adoro petiscar, adoro gelados, chocolate negro e mirtilos. Adoro a minha gata Amélie. Não passo sem um abraço dos meus amigos de sempre. Adoro rir e ver filmes e séries. Sou viciada em livros de culinária e props. Adoro o mar, e passear pela praia. Adoro viver no campo, onde tenho um pomar. Sou uma sonhadora, às vezes sem tempo para tornar os sonhos reais. Acredito no amor e na amizade, e nas coisas boas da vida.

2. Quando é que começa o teu dia?

[IM] O meu dia começa de manhã, devagar e sem grandes conversas porque de manhã geralmente não estou de muito bom humor (risos). A não ser que seja dia de folga e se avizinhe uma manhã de preguiça ou de brunch tardio. Preciso de começar a funcionar com calma antes de sorrir e enfrentar o dia. Para isso conto com os ronrons da minha gata Amélie e com um bom pequeno-almoço. Nunca saio de casa sem tomar o pequeno-almoço e um dos meus preferidos é iogurte natural com granola caseira, fruta fresca da época e um fio de mel. Fico logo mais bem disposta e pronta a enfrentar o dia.

3. Como e quando é que surgiu a ideia de criar um blog, aliado à alimentação, algo que não tem nada a ver com a tua profissão?

[IM] Na altura em que criei o blog estava a trabalhar numa clínica veterinária mais pequenina, tinha muito tempo livre, o que me permitia fazer imensas coisas e pesquisar outras tantas. Como sabes adoro preparar um bolinho para os domingos em família, e comecei a pesquisar online receitas que me agradavam. Fui descobrindo outros blogs de culinária que sigo ainda hoje, e identifiquei-me com eles. Pensei, porque não criar o meu? Não foi uma tarefa estudada nem pensada em detalhe. Avancei sem pensar demasiado na imagem, acho que no início era tudo muito “cru” e eu gostava assim, só de partilhar receitas pela partilha, mas com a sensação de que não estava ninguém do outro lado. O tema culinária e receitas, acho que tem a ver um pouco com a herança de família, foi com a minha mãe e avó que aprendi a fazer os meus primeiros bolinhos e acho que a sensação de conforto que sinto aliada ao ligar o forno e preparar uma receita, e tudo o que nos une à volta de uma mesa traz muita felicidade. Acho que era essa felicidade que queria transmitir quando criei o blog. Um espaço de partilha, partilha de memórias e afectos, partilha das receitas que me fazem feliz.

4. O que é que não pode faltar na tua cozinha? E no teu frigorífico?

[IM] Na minha cozinha diria que não pode faltar amor, e família e amigos com quem partilhar a felicidade de estar à mesa e petiscarmos juntos. Depois em termos práticos, um liquidificador e um processador de alimentos, uma boa faca e um rolo da massa, uma balança precisa e uma boa panela de ferro. Em termos de ingredientes não pode faltar a fruta da época e muitos legumes, com sorte acabados de colher da minha mini horta e do pomar. Adoro pão rústico e pão alentejano e broa. Um bom azeite. Tomates e limões. Ervas aromáticas como coentros, especiarias como a canela, aveia e frutos secos. Adoro iogurte natural, queijos e que nunca falte um bom chocolate negro e manteiga de amendoim.

5. Sendo veterinária a full time, como é que é feita a tua gestão entre o teu trabalho a full time e o teu blog? É fácil encontrar tempo e inspiração depois de um dia de trabalho, às vezes tão intenso?

[IM] Noto que cada vez mais é difícil conciliar tudo, o trabalho, o blog, e todas as coisas que quero fazer relacionadas com o blog, nomeadamente a fotografia. Às vezes faço pequenas pausas, porque a inspiração não aparece assim do nada, e no meio do cansaço às vezes perco-me um bocado confesso. Acho que faz bem parar um pouco, fazer o que gostamos com calma e tempo. Mas acho que já não vivia sem o blog, sem tudo de bom que ele me traz. Acaba por ser um escape à rotina e ao meu trabalho de enorme responsabilidade. Posso ser um “eu” mais criativo nele. Tento deixar um pouco do meu tempo livre das folgas para criar as receitas, ir para a cozinha e acima de tudo planear as fotografias. É algo que me dá imenso prazer. Aprendo a cada etapa. Depois guardo outro pedacinho de tempo para edição de fotos e com calma, escrevo os textos, as palavras que ligam as receitas e as imagens. Depois há o vício do instagram e de partilhar histórias e conectar-me com outros criativos. Guardo sempre um pouco do final do meu dia para isso. À hora de almoço tento colocar sempre os emails, perguntas e comentários em dia.

6. Na cozinha: dois pares de mão ajudam ou atrapalham?

[IM] Por norma costumo cozinhar sozinha, na minha cozinha. Gosto de uma bancada livre e espalhar tudo (às vezes sou um nadinha desorganizada, mas não vejo isso como sendo uma falha!) e ir fazendo as coisas ao meu ritmo, com música de fundo. Mas adoro estar com mais mãos a ajudar. Por exemplo, é tão bom preparar receitas com a minha avó, as receitas dela mais antigas, e estar com ela a rir enquanto cozinhamos. Ou com amigos, partilharmos receitas e aprendermos juntos. Acho que aprendo sempre alguma coisa enquanto cozinho e vamos falando e petiscando. Já a comida em si prefiro sempre que seja partilhada a muitas mãos e bocas, sabe tão bem ter a mesa cheia.

7. O que é que o teu blog te trouxe de melhor?

[IM] Acho que o blog despertou mais o meu lado criativo. No meu trabalho como médica veterinária tenho de ser mais metódica, científica e seguir protocolos. Embora envolva demasiados sentimentos, situações de vida e morte, lidar com pessoas e animais, acabo por ter sempre que ser mais prática. E no blog posso desligar-me e ser muito mais criativa, sempre com tanto para aprender. Adoro aprender. Conhecer ingredientes novos, sabores por descobrir, experimentar receitas, criar ambientes envolventes e fotografar. Adoro fotografar, e quero tanto aprender mais nesta área. Sem dúvida que o blog me trouxe novas paixões e me faz sonhar muito. Faz parte de mim, de quem eu sou, e do que ainda quero descobrir e aprender. Trouxe-me pessoas, que de outra forma nunca teria conhecido. Pessoas com as mesmas paixões, algumas delas que posso chamar de amigas. Trouxe-me a oportunidade de fotografar um livro de culinária, de fazer três exposições de fotografia. Sinto-me grata por tudo neste percurso.

8. O teu Instagram é fantástico e nota-se uma coerência grande nas fotografias. Qual consideras que seja a chave para ter sucesso e para criar uma comunidade fiél?

[IM] Acho que acima de tudo o importante é postar imagens que gosto e se identifiquem comigo e com o meu estilo, e que tenham algum significado ou que contem uma história. Eu vejo o meu instagram como uma galeria, onde coloco quadros e cores ao sabor das estações e do meu estado de espírito. É importante seres tu própria, manter real, criar conteúdo interessante e mostrares o teu trabalho, como um portfolio. Acho que postar diariamente seria o ideal, mas eu só posto quando me sinto inspirada, tudo flui melhor desta maneira comigo. Não sigo regras mais uma vez. E não nos podemos esquecer nunca que não estamos isolados, o instagram é uma comunidade e apesar de muito ter mudado nos últimos tempos, a comunidade é sem dúvida o mais importante. Interagir com os teus seguidores, com as contas que segues e te seguem, valorizar cada opinião, cada pessoa que perde um pouco do seu tempo a visitar-te faz parte de estares nesta comunidade, e tenho a sorte de me ter cruzado com pessoas bem especiais por lá.

9. Onde te imaginas daqui a 5 anos?

[IM] Acho que vivo mais para o presente do que para o futuro. Neste momento da minha vida vivo um dia de cada vez, sem planear muito as coisas. O agora é o mais importante e é o que eu quero viver. Claro que tenho sonhos e quero concretizar alguns deles. Mas não penso muito onde vou estar e o que vou estar a fazer daqui a 5 anos. Espero que o blog ainda exista e que acima de tudo que eu seja feliz a ser blogger e a fotografar. Tenho a sensação de que cada vez mais o tempo é precioso, e valorizo mais os momentos em que sou feliz e as pequenas coisas da vida, por isso quero continuar com o blog mas num ritmo saudável, sem pressas, sem obrigações. Quero continuar a cozinhar, e acima de tudo a fotografar, quero aprender mais sempre. Quero continuar a partilhar de coração, valorizar cada oportunidade que a vida me dá, cada pessoa que se cruza no meu caminho. Conheci pessoas incríveis, descobri tantos ingredientes e receitas novas, viajei à mesa, expus as minhas fotografias e fotografei um livro, e tudo isto aconteceu sem planear. Acho que vou continuar por este caminho, livre e autêntico, sem querer demasiado, mas esperando sempre pelo melhor, por coisas boas e novas oportunidades. Vamos ver o que o futuro me reserva, estou aqui para o abraçar.

Instagram

Blog

With love, JL

#mulheresempreendedoras #entrepreuner #female #interview #entrepreunerfemale #inspiration #calledtobecreative #calledtobecreativemombossgraphicdesignerfem #entrevista

0 visualização