JL Tales - Entrevista com Catarina Partidário


Numa altura em que o Mundo tenta ultrapassar uma epidemia gravíssima, não me canso de promover a iniciativa de apoiar negócios pequenos. A situação económica é algo que me preocupa bastante, nomeadamente no que toca a pequenos negócios que não têm fundos de maneio suficientes para aguentar meses sem faturar.

É por isso, e por todos os motivos que venho a defender há anos, que hoje mais do que nunca pretendo promover negócios que podem (e devem) continuar a funcionar nesta altura tão difícil.

Não deixem de nos apoiar. Precisamos mesmo de vocês!

1. Completa a frase: “A Catarina é…”

A Catarina é resiliente! Há uns anos atrás não imaginava que viria a dizer isto. Aliás, tinha uma grande aversão à mudança, e detestava sair da minha zona de conforto (ainda não gosto, mas agora obrigo-me!).Mas nos últimos anos muita coisa aconteceu - costumo brincar a dizer que mudei de vida muitas vezes desde há uns anos atrás. Passei por fases muito difíceis, sobretudo a nível de saúde, com uma serenidade e uma força que às vezes nem sei de onde veio. Por isso acho que a resiliência é mesmo algo que hoje me define. E ainda bem!

2. Como é um dia típico de trabalho?

Pode parecer cliché, mas não há um dia de trabalho típico. Depende das encomendas, do mood em que esteja (se mais virada para contas e excel, se mais criativa e aí aproveito para pensar mais no desenvolvimento do negócio), do que esteja a acontecer à minha volta (com família e amigos)...De qualquer forma o dia começa sempre em família - tomamos o pequeno-almoço todos juntos e depois levo o meu filho à escola.A partir desse momento entro na minha maratona diária de tentar fazer tudo o que tenho na minha lista (e raramente consigo, porque acho sempre que demoro muito menos tempo a fazer tudo!).Vou buscar o meu filho cedo à escola, para ainda poder aproveitar parte da tarde com ele. Mesmo que às vezes ainda tenha que atender algum telefonema de trabalho, publicar um post ou responder a uma mensagem - tento sempre que seja o mínimo possível. Desde que o vou buscar até que ele vai dormir, a minha prioridade é ele!Dependendo do nível de trabalho e da energia, muitas vezes ainda volto para o computador depois de ele adormecer. Senão vejo uma série, ou leio. Sempre gostei muito de ler, mas claro que hoje em dia não tenho o tempo que tinha há uns anos, e por isso vou acumulando na minha mesa de cabeceira livros que quero ler!

3. Completa a frase: “Eu não vivo sem…”

Eu não vivo sem... um bom pequeno-almoço. Acho que é a minha refeição preferida. Não consigo sair de casa e começar o meu dia sem comer bem! Gosto do ritual de nos sentarmos todos à mesa para começar o dia. Gosto de ir variando, uns dias fazer smoothies de fruta com granola, noutros dias papas de aveia, ao fim-de-semana panquecas... Mas tem que ter sempre fruta e café!

4. Que pontos chave na tua vida te levaram a exercer a tua profissão hoje?

Houve três pontos chave na minha vida que me trouxeram até aqui: dois problemas de saúde, e o facto de ter sido mãe.O primeiro ponto chave aconteceu em 2014, quando descobri que tinha uma doença auto imune. Na altura trabalhava em Londres, estava a apenas alguns meses de me casar, viajava muito (por lazer, não em trabalho), e acho que tinha poucas preocupações. Gostava de treinar, mas de resto não tinha grandes cuidados comigo. Foi a primeira vez que comecei conscientemente a adoptar um estilo de vida mais saudável: yoga, mais descanso, melhor alimentação.Em 2016 fui mãe, e foi um ponto de viragem muito significativo na minha vida. Tirei um ano para ficar em casa com o meu filho, e foi a melhor coisa que fiz - não foi fácil, mas foi maravilhoso e não trocava esse ano por nada. Antes de o meu filho chegar à fase da introdução alimentar, comecei a ler muito sobre alimentação e descobri o Baby Led Weaning. Como a ideia era ele comer o mesmo que nós, acabámos por melhorar imenso a nossa alimentação: passámos a incluir muito mais vegetais, passei a ler atentamente as listas de ingredientes, e foi nessa altura que bani os alimentos processados cá de casa.Em 2017 veio o terceiro ponto chave: cancro da mama. Tinha 30 anos e um filho de 15 meses (e estava a amamentar). Já me tinha despedido do meu emprego em Londres e estava em Lisboa à procura do meu desafio seguinte - que não contava que fosse este! Foi nesta altura que a Mum's Cooking nasceu: no fim-de-semana depois da minha primeira sessão de quimio, passei imenso tempo na cozinha a preparar todas as refeições, a pesquisar receitas novas e saudáveis, a fazer tudo de raiz. Queria, e sabia que tinha que, comer bem - mas não encontrava opções de compra, que fossem fáceis e rápidas de preparar, mas que também fossem boas, saudáveis, sem serem super processadas e cheias de conservantes e afins. E de repente fez-se luz: porque é que não havia comida congelada, mas que fosse saudável? Com ingredientes verdadeiros, sem aditivos?Estes três pontos foram fundamentais para mim, levaram-me a repensar a minha alimentação e da minha família. Levaram-me também (sobretudo desde que fui mãe) a repensar as minhas prioridades e a minha carreira.

5. Qual é a tua missão? Para quem é a Mum's Cooking?

A Mum's Cooking é para toda a gente!Nasceu a pensar nas famílias, sobretudo nas mães com filhos pequenos e que tantas vezes não têm o tempo ou o apoio necessário para preparar uma refeição saudável e nutritiva, como gostariam, para si e para a sua família.Mas é também para os mais velhos e para os mais jovens, para os que vivem juntos e para os que vivem sozinhos, para os dias de semana apressados ou para os jantares de fim-de-semana preguiçosos.A minha missão é fazer com que a alimentação saudável não seja algo complexo e que só se consegue com muito planeamento e horas na cozinha. Porque comer bem deve ser a regra, e não a excepção.

6. Partilha uma curiosidade sobre o teu produto.

O meu marido lembrou-me há uns meses de uma coisa que nem eu me lembrava! Há muitos anos, quando fomos viver juntos, eu gostava de cozinhar em grandes quantidades para congelar. Cheguei a dizer-lhe que adorava ter o congelador cheio, e ficava nervosa quando começava a ver que ele estava a esvaziar! Claro que na altura não imaginávamos que a vida ia dar estas voltas (até porque na altura eu não cozinhava grande coisa, nem era assim tão saudável - pelo menos para os meus parâmetros actuais!).

7. Quais são os maiores desafios do teu trabalho?

Os maiores desafios são o facto de ser um trabalho, e uma preocupação, 24/7, e o facto de me obrigar constantemente a sair da minha zona de conforto. Durante muitos anos disse que nunca seria empreendedora, que o que eu gostava era de trabalhar por conta de outrem, com um salário fixo e x dias de férias por ano. Fazia o que tinha para fazer, mas não tentava ir mais além. Quando saía do trabalho não levava preocupações para casa.Hoje em dia claro que isso não acontece. É o meu projecto, a minha marca, o meu bebé. Claro que é importante pararmos e termos períodos de descanso, e no meu dia-a-dia tento ter muito bem definido o que é tempo de trabalho e o que é tempo pessoal. Mas é aquela sensação da cabeça que não pára... Muitas vezes vou-me deitar e tenho o cérebro a mil, tenho que tomar notas das coisas em que estou a pensar para conseguir relaxar e adormecer.Quanto a sair da minha zona de conforto - sempre fui uma pessoa tímida, envergonhada. Por isso estar a lançar um negócio próprio, em que sou eu que tenho que o apresentar, que o vender, às outras pessoas, é das coisas mais difíceis para mim. O que me vale aqui é que acredito muito, muito, muito no projecto, no conceito e na minha missão. E tenho tido feedback incrível dos meus clientes e das pessoas a quem tenho apresentado o projecto, que ajuda muito a ir ganhando confiança.

8. Como equilibras a vida pessoal e profissional?

Não é fácil, até porque trabalho a partir de casa, e por isso a vida pessoal e profissional acabam por se cruzar muito. Tento limitar por horas e tarefas - por exemplo se tiver mesmo que trabalhar à noite, ou ao fim-de-semana, é depois de o meu filho ir dormir, ou enquanto ele dorme a sesta. E só o faço se tiver mesmo alguma coisa importante para fazer, nunca por rotina.A parte mais difícil às vezes é equilibrar o trabalho nas semanas em que tenho mais consultas, ou em que o meu filho fica doente. Tudo o que é encomendas de clientes continua a acontecer como se nada fosse, mas há várias outras coisas relacionadas com o desenvolvimento do projecto que ficam para depois. É muito importante conseguir prioritizar e perceber o que é mesmo importante em cada dia. Mas não é fácil!

9. Qual a tua parte preferida da semana?

Sem dúvida o fim-de-semana, quando estamos todos juntos em família. Adoro as manhãs do fim-de-semana, em que tomamos pequenos-almoços demorados, ainda em pijama. É uma velocidade completamente diferente de durante a semana, estou muito mais relaxada e despreocupada.

10. O que guarda o futuro? / Onde te vês daqui a 5 anos?

Com as voltas que a minha vida deu nos últimos anos, às vezes prefiro não pensar muito no que me guarda o futuro!Mas correndo tudo bem, vejo-me daqui a 5 anos com mais um ou dois filhos, um negócio em expansão, e a conseguir equilibrar (melhor do que actualmente) a minha vida pessoal e profissional. Sem culpas! Ah, e a dormir mais!!

11. O que achas que a Catarina criança diria sobre ti agora?

Nem é preciso ir tão atrás... A Catarina de há 5 anos atrás não reconheceria a Catarina de hoje em dia. Sempre fui muito avessa ao risco e sempre disse que preferia trabalhar por conta de outrém e com menos chatices, que empreendedorismo não era para mim! Mas acho que a Catarina "antiga" ia ficar muito feliz e orgulhosa desta nova Catarina, que arregaça as mangas e vai à luta!

12. Se não fizesses o que fazes, o que farias?

Provavelmente teria um emprego de escritório, aborrecido. E provavelmente sem a flexibilidade que tenho hoje de ir buscar o meu filho à escola e ir com ele ao parque!

13. Conselhos para quem quer iniciar um negócio.

Ninguém se vai preocupar tanto com o teu negócio como tu. Ninguém vai lutar por ele como tu. Por isso tens mesmo de acreditar no que queres fazer e na tua missão, porque é isso que te vai ajudar a seguir em frente e a ultrapassar todas as dificuldades!

Instagram Mum's Cooking

Vê o vídeo de apresentação da Catarina no IGTV e fica a conhecê-la melhor.

With love, Joana Lapa Segue-me no Instagram

Envia-me um email


0 visualização