Let's talk with // Inês, Veggie Nessie


Hoje trago-vos mais uma marca que admiro bastante. Foi há três anos que o meu interesse pela comida vegetariana e veggie despertou e, por isso, sou fã de produtos diferentes e deliciosos.

A Inês surgiu na minha vida por acaso e recentemente mas é uma pessoa cheia de garra e muito (muito) trabalhadora que admiro muito e na qual acredito que terá todo o sucesso do mundo porque sabe onde quer chegar.

Hoje mostro-vos um bocadinho do percurso dela na Veggie Nessie. Vejam:

1. A Inês é...

[IE] Sou uma sonhadora! Mas se, por um lado, sou uma idealista, também sou muito pragmática. Tenho uma grande curiosidade pelo mundo, pelas suas pessoas e ideias, e entusiasmo-me com facilidade... Nesse sentido ter criado a Veggie Nessie foi das melhores coisas que já me aconteceu! Obrigou-me a criar metas, planos de acção, princípios e regras. Quando se tem curiosidade por muita coisa é fácil perder o foco, então ter criado um projecto, uma marca e uma empresa foi um desafio maravilhoso para o meu lado mais impulsivo. Tem sido uma aventura muito boa.

2. Quando é que começa o teu dia?

[IE] Não sou propriamente uma pessoa de rotinas matinais, mas diria que a primeira coisa que faço é definir mentalmente os objectivos do meu dia. Café, chá, água morna com limão ou sumo de laranja natural também fazem sempre parte do meu acordar.

3. Como e quando é que surgiu a ideia de criar a Veggie Nessie?

[IE] A Veggie Nessie nasceu completamente por acaso na minha cozinha, em casa, no início de 2015. Nunca tinha feito um veggie burger na vida, acreditas? Mas nessa altura estava a deixar de comer produtos animais e sentia que era bem difícil encontrar bons burgers vegetarianos. Então, certo dia, decidi fazer 6 veggie burgers de cevada, feijão azuki e legumes e ficaram deliciosos. Fiquei muito contente com o resultado e gabei-me deles numa foto que enviei a um grupo de amigos. Para minha grande surpresa, mas também porque os meus amigos são uns amores, logo nesse dia encomendaram-me uns 40 para a próxima vez que os fizesse. Nas semanas que se seguiram mais amigos encomendaram, depois amigos e familiares de amigos, até que um dia criei a página de Facebook e assumi que tinha um pequeno projecto de entrega de veggie burgers na Graça, Arroios, Mouraria... A minha grande amiga Camila Reis desenhou-me o logotipo que tinha em mente e pronto, tinha criado a Veggie Nessie. Como, com o passar das semanas, ia sentindo o interesse de gente tão diferente, fui percebendo que era um produto que podia mesmo ter lugar em casa das pessoas e que se eu conseguisse criar receitas deliciosas e fazer entregas em casa/ao domicílio, a coisa poderia ter futuro.

4. E quando é que decidiste tornar tudo isto num negócio a full-time?

[IE] Pouco tempo depois, talvez uns 3 ou 4 meses. A verdade é que logo desde o início senti um "bichinho" que me dizia que o projecto podia mesmo dar certo, que havia procura... Mas é claro que demora muito tempo até um pequeno projecto se tornar inteiramente auto-sustentável... Mas lentamente lá fui trabalhando, estudando, aprendendo e chegando a mais e mais pessoas.

5. Numa época onde a alimentação saudável é o grande foco de muitas marcas, no que é a Veggie Nessie se distingue?

[IE] Sinto que tive a sorte de ter criado um produto que tem três características muito importantes hoje em dia: além de saudável, é prático e delicioso. Como temos entregas ao domicílio, damos a oportunidade às pessoas de aquirirem produtos vegetarianos, deliciosos e saudáveis sem saírem de casa. Além disso, na Veggie Nessie podem sempre contar com um tom amigável e descomprometido :)

6. Para trabalhar: sozinha ou acompanhada?

[IE] Ambas. Adoro estar e trabalhar sozinha, ouvir os meus pensamentos e desafiar-me a encontrar soluções. Mas também adoro companhia e trabalhar numa boa equipa. Diria que para estar feliz tenho de ter um equilíbrio entre ambas as coisas...

7. Sendo freelancer (neste caso tendo o teu próprio negócio/marca), quais foram as tuas maiores dificuldades ou medos? E quais as maiores forças?

[IE] Diria que a minha maior dificuldade foi aprender a gerir o tempo. Um negócio não dorme, e quando nos pertence tanto podemos trabalhar nele às 9h como às 2h da manhã. A minha maior força terá sido sem dúvida a perseverança. O maior medo foi sempre o de deixar um cliente insatisfeito.

8. Pergunta difícil: consideras que ser mulher tem tido influência no teu percurso? Considerando que eras um homem, seria diferente? :)

[IE] Sinceramente, não. A Veggie Nessie nasceu de uma visão minha e, como qualquer pessoa, tive de trabalhar imenso para conseguir trazê-la para o plano do real... Não sei o que teria sido diferentes de fosse homem! Mas a verdade é que nunca tive, nem procurei ter, investidores nem nunca tive de dar justificações a ninguém a não ser a mim mesma.

9. Ainda falando sobre ter a nossa própria marca, o grande medo de muitas das pessoas é não conseguir clientes e, consequentemente, não tirar rendimento do seu trabalho. O que achas que foi fundamental para iniciares a tua jornada e para conseguires os teus primeiros clientes? Algumas dicas, para quem quer iniciar uma jornada destas?

[IE] Como sabes tão bem, hoje em dia tudo é uma questão de comunicação ou, pelo menos, tudo começa por aí. Se a comunicação for boa, desperta interesse. Depois é preciso cumprir com essa promessa e entregar um produto que vá deixar os clientes mesmo felizes! É importante nunca falhar uma encomenda ou deixar um contacto por responder. Sugiro ainda que se seja o mais honesto possível e que se comunique sempre com amabilidade, o mundo já tem coisas tão difíceis que todos beneficiamos de um bocadinho de simpatia extra...

10. O que é que a tua marca te trouxe de melhor?

[IE] Um enorme desafio, muito sentido de responsabilidade, independência e confiança.

11. Onde te imaginas daqui a 5 anos?

[IE] A abrir uma Veggie Nessie em Madrid....

Instagram

Facebook

With love, JL

#mulheresempreendedoras #entrepreuner #female #interview #entrepreunerfemale #inspiration #calledtobecreative #calledtobecreativemombossgraphicdesignerfem #entrevista #organii #produtosbiologicos #entrevistas #jldesign #womenpower

0 visualização