Let's talk with // Mariana Lança


Hoje não vos trago uma marca. Trago-vos sim uma mulher jovem, que veio de uma cultura e tradições antigas mas que ainda perduram diariamente no seu dia a dia. Conheçam a Mariana, enóloga de profissão. Eu ADOREI conhecer a sua história:

1. A Mariana é...

[M]: Mariana Lança, 30 anos, filha de António Lança, produtor e fundador da marca há 20 anos.

Sendo a Herdade Grande um projeto familiar, com praticamente um século de existência, nasci e cresci acompanhando o desenvolvimento da empresa. Desde cedo percebi que a minha vida profissional tinha de ser rodeada de vinhas e olival. Das três filhas, sempre fui a mais ligada ao campo e em particular à Herdade Grande. Assim, apenas eu me licenciei em Engenharia Agronómica com mestrado em Viticultura e enologia, e após realização do meu estágio curricular em Adega reconhecida, integrei o projeto em 2011.

Pela paixão pelo projeto, decidi em 2014 trocar Lisboa pela Vidigueira.

2. Como começa o teu dia?

[M]: O meu dia começa cedo, estou pelas 8h na HG. Oriento a parte agrícola e depois a produção. Depois de almoço dedico-me a emails, gestão e parte comercial. Por outro lado tenho algumas semanas que faço acompanhamento com os vendedores no mercado nacional e também as saídas externas.

3. De forma a contextualizar diz-nos, o que é a Herdade Grande e o que tem para nos oferecer?

[M]: A HG é uma propriedade com cerca de 1 século na família Lança, atualmente 350ha no total, 60h de vinha e 40 Olival e a restante área para pastoreio de ovinos. O meu avô foi co-fundador da adega Cooperativa da Vidigueira e, no início, era para lá que iam as uvas. Em 96 iniciámos a produção Herdade Grande. Já lá vão 21 anos...

4. Para enquadrarmos todo o percurso que te trouxe até aqui, a propriedade está na tua família desde há muito tempo e, por isso, ela faz parte da tua vida desde sempre. Inclusivamente muitas férias e fins-de-semana foram passados na Herdade. Era aborrecido, ou por outro lado, já vibravas com tudo o que dizia respeito a esta propriedade?

[M]: Passei muito tempo na HG em fins se semana de família e sempre tive uma relação muito forte com tudo. Basta pensarmos que tenho bem presente todos os nomes dos cães (rafeiros alentejanos) que tivemos em 30 anos. Foi o "Degebe" que ficou com a minha chucha com 3 anos :)

5. Como surgiu a tua ligação ao vinho? Sentes que te foi imposta pelo facto de teres como que uma responsabilidade de continuar o projecto de família, ou foi mesmo um gosto que surgiu em ti desde cedo?

[M]: Eu cresci com o projecto HG pelo que sempre acompanhei de muito perto tudo. Desde cedo percebi que se estaria bem entre vinhas, a minha grande paixão. Não posso dizer que não tive alguma pressão pois tive muita responsabilidade muito cedo. Os negócios familiares são sempre complexos, pela entrega total que tens à causa mas são muito gratificantes.

6. Para compreendermos melhor, conta-nos as tuas funções na Herdade Grande?

[M]: Actualmente assumo a posição de directora geral. Faço a ponte entre o meu pai e a produção sendo que o meu pai ainda está com total controle da parte financeira da empresa. Tenho o mercado nacional e exportação e isso ocupa me muito tempo. Estamos já um pouco por todo o lado, sendo que os nossos melhores mercados externos são Canadá, Brasil e Luxemburgo.

7. Estás num mundo muito masculino. Sentes que tens mais desafios do que se fosses homem? Por exemplo no contacto com fornecedores, com parceiros e até mesmo com colaboradores, sentes que eles te consideram da mesma forma?

[M]: Hoje em dia sente-se cada vez menos essa diferença pois somos cada vez mais mulheres na agricultura. Ainda se sente bastante no campo, nos trabalhos agrícolas. Tenho aprendido muito com quem está no campo diariamente pelo que tento explicar o porquê do que peço.

8. Tens neste momento 30 anos e vives no meio do campo. Em nenhum momento te arrependes de estar longe de Lisboa, longe de alguns amigos, das novidades e de tudo o que uma cidade tem para oferecer, como cinema, teatro, e outros programas? De que forma colmatas isso?

[M]: Confesso que com o meu dia-a-dia não seria possível se tivesse numa grande cidade como Lisboa. Tenho falta das novidades mas tento compensar ao fim de semana. Sempre que posso vou a Lisboa. Tenho lá as minhas irmãs e os meus quatro sobrinhos que são umas coisas boas!!! Fico com muitas saudades...

9. Como já percebemos tens imensas responsabilidades na Herdade, mas tens também a tua família, um marido, e uma bebé de quase um ano. Como consegues gerir tudo e que dicas podes dar a futuras mamãs empreendedoras?

[M]: De facto é bastante dificil... como para além do meu dia-a-dia tenho viagens para fora, passo algum tempo sem os ver ( João e Carlota). Ainda é cedo para dar dicas mas acho que é fundamental, nós Mamãs, impormos limites de horários e tirar uns dias para eles será futuramente fundamental.

10. Muitas de nós têm curiosidade sobre o mundo dos vinhos. Conta-nos como identificar um bom vinho? Que características procurar?

[M]: Para mim um bom vinho é um vinho equilibrado, ou seja, balanço entre acidez, álcool e estrutura. No entanto, depende muito de pessoa para pessoa e, como tal, o melhor vinho é o que nos sabe melhor.

11. Como te vês, a ti e à Herdade, daqui a 5 anos?

[M]: Daqui a 5 anos imagino me com 3 filhos, e com uma Herdade Grande ainda mais consistente e sólida. Sempre com muitas novidades para vos surpreender mas com os clássicos habituais!

With love, JL

Instagram Herdade Grande

Site

#mulheresempreendedoras #entrepreuner #female #interview #entrepreunerfemale #inspiration #calledtobecreative #calledtobecreativemombossgraphicdesignerfem #entrevista #organii #produtosbiologicos #entrevistas #jldesign #womenpower

0 visualização