Let's talk with // Carmo, Mu Blog


1. Fala-nos sobre a Carmo...

[C] Olá querida Joana,

Deixa-me dizer-te em primeiro lugar, que apesar do meu tempo escasso e das minhas demoras, é uma alegria enorme e uma grande honra poder estar aqui contigo, muito obrigada por este bocadinho por aqui!

A Carmo... Esse mundo!!

Muitas vezes ao longo da minha vida descrevo-me como: "Sou tudo e nada sou!"

É simples, apesar de ser complexo... Acredito que todos nós somos seres únicos, especiais, e dentro de cada um de nós há um mundo riquíssimo com tantas mais coisas boas e bonitas que más, apesar de também termos características menos boas, essas precisam só de mais trabalho e polimento.

Sou desde bem pequenina, uma sonhadora, pairo constantemente por outros planetas. Sou criativa e quando era mais nova, diziam que era "mandona", que tinha mau feitio.

Cresci conformada com isso, apesar de haver dias em que acho que de facto tenho o pior feitio do mundo, noutros, o melhor.

Sou paciente e calma, apesar de todos os meus "mood´s", sou muito amiga dos meus e sou uma pessoa dada.

Dou, gosto de dar, entrego-me de mergulho aos outros. Isto já me fez sofrer muito, já o tentei não ser, mas não consigo. Sei que por isto me irei continuar a entristecer, a frustrar, mas eu acredito com muita força no bem e que devemos dar muito mais que receber.

Gosto muito de ensinar, gosto muito de partilhar, gosto muito de fazer crescer projectos e ideias, não me importo de "ser diferente" ainda que isso possa ser tão complicado, por vezes.

Sou pessoa de não estar parada, apesar de amar descansar e fazer ronhas intermináveis (que saudades!).

Ponho os outros à minha frente, sou Mãe e Mulher leoa, e sou muito protectora da minha família.

Gosto de ser e estar bem disposta, de ser "teatreira" e uma exagerada, como me descrevem!

Amo fazer teatro, dançar e cantar, são paixões que ficaram para trás mas que me definem muitíssimo.

Nunca soube o que queria ser, quando fosse grande, porque sou tantas estas coisas diferentes, que uma só não cabia em mim.

Em suma, sou um coração mole, complexada com um monte de coisas, muito insegura com outras, mas muito segura e firme com as minhas convicções, crenças e escolhas, ideias e caminhos.

Ainda que o meu marido ache o contrário, sou mais mansa que fera!

Sou apaixonada pelas artes, sou entusiasta! Gosto de desafios, de provar que é possível!

2. Quando é que começa o teu dia?

[C] O meu dia deveria começar pontualmente pelas 8h da manhã, mas sair da cama é e será sempre, uma das questões que mais me custa nesta vida!

Depois de conseguir, vou buscar o meu piolho à cama e trato de nós: Vestir, pequenos almoços, preparar as mochilas da escola, dar uns valentes miminhos, ir deixar o meu filho à escola, voltar para casa.

Como trabalho em casa (ainda!), primeiro tenho que dar adianto às coisas domésticas: Loiça, roupa, arrumação, limpezas, idem....

Pelas 11h chego ao meu computador e estou de enfiada até às 16h30 (yep de seguida) que é quando paro e largo tudo para ir buscar o meu filho à escola e estar 100% com ele.

3. Como e quando é que surgiu a paixão pela fotografia?

[C] A fotografia é paixão de infância.

Cá em casa sempre houveram máquinas (analógicas) e muitas revelações.

A grande culpada foi a minha Mãe e uma Tia que andavam sempre de máquina atrás, a retratar a catrefada de filhos e sobrinhos. Faziam-nos os retratos mais bonitos de sempre. A minha Mãe era muito certinha nos álbuns e fez 2 a 3 álbuns por filho (somos 5), todos cheios de legendas, de recortes, sem deixar escapar um ano, ou uma festa, tudo estava fotografado e bem documentado desde os nascimentos.

Tenho ideia de haver uma mesa de camilha onde a minha Mãe fazia estas coisas, uma estante e lembro-me das gavetas com tesouras, colas, e montes de fotografias, muitas vezes eu ia com ela por as fotografias a revelar, passados uns dias iamos buscar, com o maior entusiasmo para ver o que tinha ficado bem.

Aos poucos, fui tendo permissão (depois dos 3 irmãos a cima), para fotografar, mas só uma fotografia de cada vez, que era assunto sério, não era para se desperdiçar rolo!

Então aprendi, subtilmente, que as fotografias se têm de planear, estudar os cenários, procurar a melhor luz, o melhor ângulo, a melhor pose, confirmar se os cabelos estão bem, se ninguém está a fazer uma macacada lá atrás, e depois sim, contar até três (para dar tempo para o modelo sorrir) e aí sim, disparar.

Foi-me incutido acho que sem querer, sem ser imposto, e talvez tenha sido por isso que se tornou uma paixão tão grande. Dizem que aprendemos por imitação, correcto? ;)

4. E quando é que decidiste tornar isso um negócio a full time?

[C] Ainda antes dos meus vinte anos (ou seja há mais de 10 anos). Comecei a fotografar as modelos que a minha irmã Pilar (maquilhadora) pintava, era totalmente a minha praia. Fazia por gosto e por vezes como "pacote" para a minha irmã entregar às modelos ou noivas, ou simplesmente para o porftólio da minha irmã.

Fui descoberta, na altura assim, uma pessoa viu uns cartões que tinha feito para divulgar o trabalho da Pilar, onde coloquei fotografias minhas, dela e de modelos.

Essa pessoa ficou apaixonada pelo meu trabalho, até à data por hobby, e contratou-me para fotografar o Baptismo da sua neta, filha de uma figura pública. Foi uma coisa muito marcante na minha vida.

Depois disso fotografei um Casamento de uma prima, e mais uns quantos Baptismos, tudo de pessoas que vinham à minha procura porque de alguma forma sabiam que eu "tirava fotografias muito boas".

Dei ouvidos ao que a vida me estava a proporcionar, na altura trabalhava como designer gráfica e decidi, em 2008, largar tudo e ir até Londres estudar fotografia. Foi meio chocante para algumas pessoas que expectavam que eu fosse tudo menos fotógrafa.

Voltei, e o meu caminho por muitas razões não seguiu nessa época pela fotografia, fui tirar a licenciatura e mestrado em educação de infância.

Depois de o terminar casei e 4 meses depois engravidei do meu primeiro filho, Manuel.

Dessa gravidez, e por uma ameaça de aborto, tive que ficar de repouso uma data de tempo, e como disse antes, não sou pessoa de me dar quieta. Criei o o MU Blog (blog de maternidade e lifestyle) e um ano depois, ou seja, em 2015, iniciei o meu caminho como fotógrafa a full time. Ou seja, muito tempo de história, e ao mesmo tempo recente!!

5. O que é que não pode faltar em cima da tua mesa de trabalho?

[C] Caneta e papel! Não sei viver sem isto!!

6. Para trabalhar: sozinha ou acompanhada?

[C] Trabalho sozinha, estou muito tempo sozinha...

Diria que para umas coisas é bom estar sozinha, noutras sem dúvida acompanhada. Por exemplo, adoro fotografar casamentos acompanhada, e adoro fotografar sessões sozinha! É ambíguo.

7. Sendo freelancer, quais foram as tuas maiores dificuldades ou medos? E quais as maiores forças?

[C] Sabia muito bem, quando criei o Mu blog e depois Mu Photography, o que queria. Estava certa, segura e convicta, de que apesar de um mercado cheio e saturado, iria haver espaço para mim, porque igual a mim não existe ninguém - Esta é sem dúvida a minha força e é este o conselho que dou a todos que comigo falam sobre isto. O segredo dos negócios de sucesso, somos nós próprios por aquilo que somos, por aquilo que damos, por aquilo que temos, pela mensagem que transmitimos. Não duvidei um segundo, e creio que por ter tido essa "lata" toda, avancei e levei o mundo comigo.

Mas... fácil muitas vezes é arrancar com toda esta força e difícil é manter o negócio. Esta muitas vezes pode ser a dificuldade - Manter a confiança e acreditar em mim, que consigo, que sou capaz, que faço bem....

Com o passar do tempo chegam os medos, as inseguranças e sobretudo, as dúvidas. Caímos, erramos, e é nesta fase que não podemos deitar tudo a perder. É preciso entender que apesar das críticas, das coisas chatas que acontecem, de clientes mais difíceis, o que fazemos tem muito de nós, muito tempo, muito amor, muita entrega, muita verdade, e que por isso vale tudo a pena.

8. Ainda falando sobre o ser freelancer, o grande medo de muitas das pessoas é não conseguir clientes e, consequentemente, não tirar rendimento do seu trabalho. O que achas que foi fundamental para iniciares a tua jornada e para conseguires os teus primeiros clientes? Algumas dicas, para quem quer iniciar uma jornada destas.

[C] A principal dica e a mais poderosa, (também talvez a mais difícil e aparentemente vaga), é acreditarmos em nós, não copiar os outros e sermos nós próprios. Se o fizermos, acredito que levamos connosco os outros atrás, de uma boa forma.

Temos de perder o medo em mostrar! Mostrarmo-nos a nós, mostrar o nosso trabalho, falar dele, divulgar, chamar a atenção, partilhar, e ser muito conciso, organizado, neste processo - Temos de ser coerentes e manter uma boa rotina destas coisas e sobretudo, sermos muito transparentes. Não é uma mais valia sermos uma marca/pessoa fictícia.

Com tempo, e se tivermos a fazer de maneira certa, tudo vem.

Lembro-me que quando comecei a fotografar, que coloquei os primeiros Flyers no facebook, apareceu logo uma cliente, fiquei com medo, mas ela apareceu! E depois dessa sempre mais e mais, até hoje.

Claro que há pequenos truques que ajudam:

- Fazer projectos fotográficos, quer para portfólio, quer para divulgar. Eles transmitem uma boa mensagem de que a pessoa se mantém activa, ocupada e requisitada e que é criativa, sem medo de trabalhar.

- Trabalhar muito, mas mesmo muito!

- Destacar-se e mostrar as suas qualidades, únicas e especiais, quer como pessoa, quer como profissional.

- Estudar muito!!! Estudar sobre redes sociais, sobre marketing, sobre fotografia, e estar constantemente por dentro, e a melhorar. Nunca sabemos que chegue!

9. Confessa-nos... quais os momentos que preferes fotografar? (Ex: casamentos, baptizados, sessões familiares, etc)

[C] Adoro fotografar no geral, hihi!!

Mas sou sobretudo menina de retratos, de pessoas, de emoções! Se há coisa que gosto de fazer é retratar alguém e captar-lhe a alma, o que ela não deixa mais ninguém ver e eu vejo! Isso é céu para mim.

Depois confesso que AMO de paixão, e talvez por ser muito a minha raiz, moda! Moda, produções, modelos, editoriais, glamour, maquilhagem, pensar nos cenários, nas cenas, criar do nada, roupas, cabelos. Todo este conjunto me faz vibrar sem parar, só quero mais e mais.

10. O que é que a tua marca te trouxe de melhor?

[C] Obrigada por esta pergunta!

A minha marca trouxe-me muitas angústias, obrigou-me a ultrapassar muitos medos e sobretudo trouxe-me das melhores coisas do meu caminho pessoal: obrigou-me a crescer, a amadurecer, a ter de passar e enfrentar muitas grandes inseguranças e medos, que não achei ser capaz. Obrigou-me a quebrar fobias, mitos, e sobretudo finalmente me realizou e me fez ser uma pessoa muito feliz e em paz com a escolha da minha vida: Criar o meu próprio negócio, só podia ser por aqui!!!

Olho para trás e agradeço todo este caminho de tanta aprendizagem, claramente sou uma pessoa melhor.

11. Sendo mãe, como encontras tempo para ti própria, para a criatividade e para fotografar, muitas vezes aos fins de semana?

[C] Ui... Este é um ponto muito sensível.

Raramente encontro tempo para mim. E isto é uma coisa que me entristece porque, como ponho tudo e todos à minha frente, eu geralmente fico para trás, com pouca margem de sobra para mim. Fico exausta, a precisar de tempo.

Resumindo, só trabalho! Quer em papel de blogger e fotógrafa, quer em papel de Mãe e dona de casa, que é um papel e pêras diga-se.

Sei que este é um ponto que tenho que reformular asap, re-definir o meu tempo e algumas prioridades. Os fins-de-semanas são geralmente todos em trabalho, ou Casamentos, ou Baptismos, ou sessões, são muito raros os dias livres de fim de semana.

Por isso, entre tarefas e trabalhos, tenho de conseguir ser criativa, fazer sair novas ideias, novos projectos, e mais importante: Concretizá-los!!

Quando paro 2 minutos, nos dias de Missa por exemplo, (são uns clássicos) a minha cabeça começa a fervilhar de ideias e criatividade. Por vezes até tenho que pegar na minha agenda e escrever estas coisas para não deixar passar!

12. Onde te imaginas daqui a 5 anos?

[C] Sonho e espero poder estar em qualquer sítio feliz, junto dos meus.

Espero daqui a 5 anos poder olhar para trás de sorriso rasgado na cara, com uma boa sensação de dever cumprido e com forças para tudo o que ainda estiver para vir!!

Espero daqui a 5 anos poder estar novamente aqui, contigo, para te contar onde estou :)

Espero já ter pelo menos mais um livro nas bancas, a família mais alargada e muitas fotografias lindas para partilhar, com muitas histórias bem vividas por detrás delas.

Nesse espaço de tempo, espero também poder fotografar-te e conhecer-te!

Um beijinho Joaninha e muito obrigada por este bocadinho tão bom <3

Instagram

Blog

With love, JL

#mulheresempreendedoras #entrepreuner #female #interview #entrepreunerfemale #inspiration #calledtobecreative #calledtobecreativemombossgraphicdesignerfem #entrevista

0 visualização